Notícias

A INTELIGÊNCIA FISCAL COMO MÉTODO PARA ANÁLISE DE INFORMAÇÕES FISCAIS

6 de agosto de 2019

A alta sofisticação e complexidade da legislação tributária representa uma significativa relevância no universo dos negócios representando o maior passivo nas organizações empresarias, exigindo das empresas uma eficaz gestão das obrigações tributárias.

Como obter um elevado índice de eficácia na gestão tributária? Muitos profissionais que integram a alta gerência das empresas acreditam que a facilidade no acesso as informações, onde através da internet, dos softwares ERP e de estatística, do Atendimento Eletrônico do Contribuinte (e-CAC) da Secretaria da Receita Federal do Brasil, do advento do SPED (Sistema Público de Escrituração Digital), obtêm-se rapidamente a completa informação, sendo está a responsável pela eficácia na gestão tributária das empresas.

No entanto, não adianta a empresa estar cheia de informações em seus computadores e não saber o que fazer com ela. É necessário um método para analisar, interpretar e aplicar as informações extraídas da área de tributos. Este método é a Inteligência Fiscal que a partir da análise das informações permite a empresa conhecer com qualidade extrema os procedimentos tributários adotados nos diversos estabelecimentos.

Aplicando a Inteligência Fiscal é possível determinar se as operações realizadas pela empresa concretizam as respectivas hipóteses legais de incidências tributárias e se todas as obrigações tributárias estão em conformidade com a legislação pertinente, buscando assim, antecipar tanto o ônus quanto o bônus tributário que eventualmente ocorra nas diversas operações industriais, comerciais e prestação de serviços.

Quanto ao ônus rotineiramente é identificado pela falta de aplicação do compliance tributário, acarretando numa autuação por parte do órgão arrecadador. Uma vez sendo identificado este problema, é traçado a aplicação de um plano de ação para elidir ao máximo a possibilidade de aumento do passivo tributário da empresa.

Ao contraponto que é possível que a empresa tenha bônus, ou seja, créditos tributários que foram desprezados ao longo de suas operações fiscais e que podem ser utilizados para diminuir o impacto tributário mensal nas operações tributárias.

Tem-se então um mapa de evidências que apresenta a situação real da empresa perante os órgãos arrecadadores, sendo fator decisivo para tomada de decisão das organizações empresariais.

Assim, aplicando a Inteligência Fiscal como método de análise das informações tributárias inicia-se um processo que garantirá um alto desempenho e eficiência no adimplemento das obrigações tributárias resultantes das operações realizadas pelas empresas.

Por: Thiago Francisco Budal